quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Jantar de Dia dos Pais



No último Sábado dia 7 de Agosto, aconteceu em nossa paróquia o Jantar do dia dos Pais, que nesse ano teve como tema: Cardapio Gaúcho, onde quem prestigiou, teve a oportunidade de saborear delicias da região sul do país, tais como; feijão tropeiro e o típico churrasco gaúcho, além de curtir música sertaneja ao vivo. 
Realizado pela Pastoral da Alegria,com toda sua renda revertida para reformas na estrutura da paróquia, o jantar que abriu a Semana da Família, contou com a presença de muitas delas, que anteciparam a comemoração do Dia dos Pais. A seguir as fotos do evento;


Geraldo e seus filhos Luis Eduardo e Leonardo



Frei John ao centro e os Frades estudantes  


Três Gerações reunidas; Beto, suas filhas Priscila e Gláucia e os netos Nicolas e Rafaela



O jantar na quadra da Igreja


A equipe da Pastoral da Alegria


Os Nossos Churrasqueiros

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Dia dos País na Paróquia



Frei José Maria M. Júnior



Jovens do Movimento "SEGUE-ME" encenam uma peça á respeito do Congresso de Leigos




Jovens do "SEGUE-ME" na abertura da Semana da Família


Os Pais reunidos no Presbitério



Os Pais de nossa comunidade junto com o Frei José dão a benção ao fim da celebração








VIGILÂNCIA




 
A reflexão de hoje nos remete á Vigilância em todos os aspectos, sendo a principal delas assumir a vocação de filhos e filhas de Deus. Assim sendo, é necessário vigiar em todos os lugares e momentos, tanto em casa, no trabalho quanto em nossas relações, para que possamos refletir sobre os dons da vida.

È de extrema importância mencionar que vigilância não é policiamento e sim cuidado com a vida humana; cuidado esse que pode ser equiparado com o que os Pais dão, uma vez que assumem esta vocação e se dedicam aos seus filhos. Ser Pai não é necessariamente saber tudo ou ter todas as respostas, mas ser sábio para participar desta relação e se desenvolver como pessoa humana juntamente com seus filhos.

A responsabilidade dos Pais remete-nos ao Evangelho que nos diz: "a quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido", Deus confiou seus próprios filhos à estes pais terrenos, por isso deveis trata-los como tesouros, pois na palavra de Lucas está escrito;
 " Onde está o teu tesouro está também seu coração." 









Referências

Sb 18, 6-9
Hb 11, 1-2.8-12
Sl 32
Lc 12, 32-48

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Pai de verdade


Pai de verdade mesmo sabe que ser pai não é simplesmente recolher o fruto de um momento de prazer, mas sim perceber o quanto pode ainda estar verde e ajudá-lo a amadurecer.

Pai de verdade mesmo não só ergue o filho do chão quando ele cai mas também o faz perceber que a cada queda é possível levantar.

Ele não é simplesmente quem atende a caprichos; ele sabe perceber quando existe verdadeira necessidade nos pedidos.

Pai de verdade mesmo não é aquele que providencia as melhores escolas, mas o que ensina quanto é necessário o conhecimento.

Ele não orienta com base nas próprias experiências, mas demonstra que em cada experiência existe uma lição a ser aprendida.

Pai de verdade mesmo não coloca modelos de conduta, mas aponta aqueles cujas condutas devem ser seguidas.

Ele não sonha com determinada profissão para o filho, mas deseja grande e verdadeiro sucesso com a sua real vocação.

Ele não quer que o filho tenha tudo o que não teve, mas que tenha tudo aquilo que merecer e realmente desejar.

Pai de verdade mesmo não está ali só para colocar a mão no bolso para pagar as despesas: ele coloca a mão na consciência e percebe até que ponto está alimentando um espírito de dependência.

Ele não é um condutor de destinos, mas sim o farol que aponta para um caminho de honestidade e de Bem.

Pai de verdade mesmo não diz "Faça isto" ou "Faça aquilo", mas sim "tente fazer o melhor de acordo com o que você já sabe".

Ele não acusa de erros e nem sempre aplaude os acertos, mas pergunta se houve percepção dos caminhos que levaram o filho a esses fins.

Pai de verdade mesmo é o Amigo sempre presente, atento e amoroso - com a alma de joelhos - pedindo a Deus que oriente na hora de dar conselhos...

ACALMA MEUS PASSOS SENHOR





Desacelere as batidas do meu coração,


Acalmando minha mente.


Mesmo que eu não tente


Seja eu inocente e pelas minhas faltas


Te peço perdão.

Diminua este meu ritmo apressado


Com uma visão da eternidade do tempo.


A ansiedade por esquecer o passado,


Varrendo as más lembranças,


Dispersando-as pelo vento.

Em meio às confusões do dia a dia,


Dê-me das montanhas, a tranqüilidade.


Preciso de paz, viver com serenidade


E ser firme, resistentes a dor e a agonia,


Esperando a chegada da felicidade.

Retire dos meus músculos e nervos, a tensão


Com a suavidade de uma música tranqüilizante,


Quero o som dos rios de águas constantes


Que vivem em minhas lembranças.


Depois de tantas andanças, haja paz no coração.

Ajude-me a conhecer


O poder mágico e reparador do sono.


Dê-me uma alcova de delírios de amor,


Como jamais eu poderia supor,


Nesta minha vida de outono.

Ensina-me a arte de tirar pequenas férias:


Reduzir o meu ritmo,quero contemplar uma flor.


Papear seja onde for com um amigo,


Afagar uma criança, ler um poema,


Ouvir música em meu abrigo.

Acalme meus passos Senhor, para que eu possa perceber


O que se passa no meu dia, no labor cotidiano.

Perceber todos os ruídos de lutas, de alegrias,


Dos cansaços ou desalentos desses anos...


Da alegria de viver sem padecer.

Quero a Tua presença constante no meu coração.


Acalme meus passos Senhor, para que eu possa entoar.


Quero cantar uma canção com emoção,


Um cântico da esperança... sorrir para o meu próximo


E calar-me, para ouvir a Tua voz em meu peito ecoar.

Acalme meus passos e inspire-me a enterrar minhas raízes


No solo dos valores duradouros da vida.

Meu desejo é que eu possa crescer


Ir até as estrelas, meu destino maior.


Você sabe de minha vida... conhece-a de cor.

Obrigado Senhor, pelo meu dia de hoje,


Pela família que me deste, e sobretudo pelo meu trabalho.

É grande a Tua presença em minha vida,


Ontem, hoje e sempre.


Agora aqui nesta terra... e muito mais ainda


Depois da minha partida.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

"Tomai cuidado com todo tipo de ganância" - Jesus Cristo


Neste domingo, o texto vêm nos mostrar, entre outras coisas, que a mentalidade materialista vem impedindo o discernimento e o amadurecimento da pessoa humana; assim como suas relações, sua dignidade e sua aceitação do outro.

Por isso, o próprio Cristo nos alerta: "Tomai cuidado com todo tipo de ganância", ou seja, devemos nos precaver quanto à ilusão de que os verdadeiros bens são restritos a objetos materiais, como um bom carro ou uma boa casa.

Deste modo, a palavra nos diz que ser pessoa não consiste na abundância de bens, e sim, na abundância de perdão, de respeito, de boas relações e de convivência com o próximo.

A mensagem que fica para reflexão é, assim como diz Paulo em sua carta, "buscais as coisas do alto", para que, assim, possamos amadurecer, romper esquemas mentirosos e ter o Evangelho como fonte de respostas coerentes.


Referências bíblicas


Ecl 1,2; 2, 21-23

Salmo 89(90)

Cl 3, 1-5.9-11

Lc 12, 13-21

quarta-feira, 28 de julho de 2010

#EUACREDITO

Bom Dia Gente,



Passeando pela net e achei algo muuuito interessante



http://www.eu-acredito.net/



Um movimento da Juventude Católica de Portugal que se uniu na última visita do Papa Bento XIV ao país.



Esse grupo tem como objetivo mostrar que são parte integrante da Igreja, e mais que integrante uma parte forte e viva, que está presente apoiando o Papa nessa exigente missão de conduzir uma Igreja de mais de 2 mil anos.

O grupo ainda afirma que não querem passar desapercebidos por essa misão evangelizadora árdua e constante, querem mostrar a todos que mesmo vivendo em um mundo de dificuldades ainda é possivel ACREDITAR !!!!!


"Queremos marcar nosso país, nossa sociedade e nossa juventude. Queremos ser alegria, paixão e esperança em tempos de angústia e escuridão, queremos dizer aos portugueses e ao mundo que apesar de todas as crises que enfrentamos, NÒS ACREDITAMOS!!! Quando os dias são sombrios e as possibilidades parecem limitadas, quando o futuro é assustador, quando somos confrontados com as realidades duras da pobreza, violência, corrupção e injustiça... Nós Escolhemos Acreditar!!!"

O site nós mostra ainda fotos do evento músicas e um vídeo de produção própria super empolgante, vale a pena conferir!!!

E você AMADO DE DEUS? O que você escolhe???...

Nós aqui...bem....nós...

Nós Escolhemos Acreditar!!!!!

terça-feira, 27 de julho de 2010

Papa convida sacerdotes a anunciarem Cristo no mundo digital

Por Jesus Colina

CIDADE DO VATICANO, domingo, 24 de janeiro de 2010 (ZENIT.org).- Bento XVI encoraja os sacerdotes a anunciarem Cristo no mundo digital, assegurando a eles que nesse contexto encontram-se como que no limiar de uma "história nova".

É a proposta contida na mensagem para o próximo Dia Mundial das Comunicações Sociais (16 de maio), apresentada este sábado à imprensa e que tem por tema O sacerdote e a pastoral no mundo digital: os novos media ao serviço da Palavra.
No Ano Sacerdotal agora em curso, o Papa quis escolher este tema para mostrar como a comunicação no mundo digital oferece ao sacerdote “novas possibilidades para exercer o seu serviço à Palavra e da Palavra”.
Falando dos homens e mulheres do mundo digital, o Papa pede aos sacerdotes: “como hão-de acreditar n’Aquele de quem não ouviram falar? E como hão-de ouvir falar, se não houver quem lhes pregue? E como hão-de pregar, se não forem enviados?"

INÍCIO DE UMA HISTÓRIA NOVA
Segundo o bispo de Roma, “o sacerdote acaba por encontrar-se como que no limiar de uma "história nova", porque quanto mais intensas forem as relações criadas pelas modernas tecnologias e mais ampliadas forem as fronteiras pelo mundo digital, tanto mais será chamado o sacerdote a ocupar-se disso pastoralmente, multiplicando o seu empenho em colocar os media ao serviço da Palavra”.
O Papa pede aos presbíteros “a capacidade de estarem presentes no mundo digital em constante fidelidade à mensagem evangélica, para desempenharem o próprio papel de animadores de comunidades, que hoje se exprimem cada vez mais frequentemente através das muitas "vozes" que surgem do mundo digital”.
Em particular, convida-os a “anunciar o Evangelho recorrendo não só aos media tradicionais, mas também ao contributo da nova geração de audiovisuais (fotografia, vídeo, animações, blogues, páginas internet) que representam ocasiões inéditas de diálogo e meios úteis inclusive para a evangelização e a catequese”.
“Através dos meios modernos de comunicação, o sacerdote poderá dar a conhecer a vida da Igreja e ajudar os homens de hoje a descobrirem o rosto de Cristo, conjugando o uso oportuno e competente de tais meios - adquirido já no período de formação - com uma sólida preparação teológica e uma espiritualidade sacerdotal forte, alimentada pelo diálogo contínuo com o Senhor.”

DEUS VIVO
O sacerdote não é um técnico da comunicação, assinala o Papa, no entanto, “o presbítero deve fazer transparecer o seu coração de consagrado, para dar uma alma não só ao seu serviço pastoral, mas também ao fluxo comunicativo ininterrupto da ‘rede’".
A este propósito, o pontífice propõe “uma pastoral que torne Deus vivo e atual na realidade de hoje e apresente a sabedoria religiosa do passado como riqueza donde haurir para se viver dignamente o tempo presente e construir adequadamente o futuro”.
Daí que “a tarefa de quem opera, como consagrado, nos media é aplanar a estrada para novos encontros, assegurando sempre a qualidade do contacto humano e a atenção às pessoas e às suas verdadeiras necessidades espirituais; oferecendo, às pessoas que vivem nesta nossa era ‘digital’, os sinais necessários para reconhecerem o Senhor”.
A mensagem foi apresentada esse sábado à imprensa pelo arcebispo Claudio Maria Celli, presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais.
Respondendo às perguntas dos jornalistas, o prelado explicou que com sua mensagem o Papa não quer dizer aos sacerdotes que eles abandonem a paróquia para dedicar todo o tempo à internet.
“Creio muito na pastoral da paróquia –afirmou. Mas creio que se possa fazer uma pastoral paroquial ‘digital’. Uma pessoa que se encontra no âmbito virtual deve ser encontrada depois na comunidade verdadeira, que a acolhe, e com a qual caminha”.
“Acredito que não é apenas uma questão de ter um site. O tema é mais profundo. Nasce no coração. De um coração apaixonado nascem as várias formas de comunicação”, disse.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Vó e Vô Ouro de Mina


Hoje Comemoramos o Dia dos Avós !!!!!


E você sabe Por Que? A gente explica...


È Porque hoje 26/07 é o Dia de Santa Ana e São Joaquim, país de Maria e Avós de Jesus


No Séc I a.c, Joaquim e Ana já tinha um idade avançada e não tinham filhos, embora o desejo de ambos fosse esse. Os dois sempre rezavam ao senhor pedindo a graça de gerar um filho, certo dia um anjo do Senhor apareceu para eles e comunicou que Ana estava grávida, de fato estava e meses depois deu á luz a uma linda menina que chamaram de Maria. A menina cresceu saudável amando e conhecendo á Deus, e por Ele foi escolhida mais tarde para gerar Seu Filho.

Por sua história São Joaquim e Santa Ana são considerados os padroeiros dos Avós, afinal foram eles os avós do Filho de Deus, tal título não poderia lhes ser negado!!!


Ao exemplo de Ana e Joaquim queremos homenagear nossos Vovôs e Vovós, que são tão importantes em nossas vidas, quem não tem uma recordação de infância em que nossos avós estão presentes, e na maioria das vezes nos deixando fazer TUDO!!!!!

Aquele bolo que só a Vó faz....aquelas histórias que seu Vô já contou 500 vezes mais que você ainda ouve paciência ou não!!! e eu aposto que você já quis muito uma coisa e sua mãe não te deu, ai você foi pedir pro vô ou pra vó e ganhou rapidinho!!!

Quem já perdeu vovô e vovó sabe a falta que faz,lembranças que só você tem guardadas no coração!!! Vô e Vó é Dom de Deus na nossa vida....então vamos aproveitar nossos velhinhos em quanto podemos, eles não estarão aqui pra sempre.


À vocês Vó e Vô, nosso MUITO OBRIGADO...


Amamos Vocês !!!



Estás convidado a ORAR!



A vida de Jesus foi um convite: por onde passava chamava as pessoas para uma ação. A igreja hoje nos convida a pensarmos nas nossas atitudes orantes.

Quantas vezes pensamos que Deus nos abandona e nossa oração não vale nada? Podemos recorrer ao livro de Genesis, onde Abraão indaga a Deus se os justos pagariam pelos injustos, e concluir que o projeto do Senhor precisa que cada um fortaleça sua oração diariamente. Assim, será possível pensar a oração como um todo!

Você ainda poderia se perguntar: "como devo orar?" No evangelho de hoje, Jesus ensina aos apóstolos a oração do Pai Nosso. Porém, como podemos chamar Deus de Pai se não consideramos o próximo como nosso irmão?

Como podemos clamar o Reino de Deus entre nós se nossas atitudes não são divinas? Querer o pão de cada dia e ter os pecados perdoados todos queremos. Mas o que estamos fazendo para que o outro também tenha esse direito?

Se não mudarmos nossas atitudes orantes, seremos obrigados a copiar a dinâmica e repetir o famoso ditado: Venha a nós, sempre. O vosso reino, nunca...


Referências Bíblicas:


Gn 18, 20-32

Sl 137

Cl 2, 12-14

Lc 11, 1-13

domingo, 18 de julho de 2010

Reflexão e Discernimento


A Palavra de hoje nos trás a mensagem de que frente aos problemas temos que parar, refletir, conversar, ouvir e dar tempo para que o caminho seja de superação do problema e não um convite a mais dificuldades, como angustia, medo, preocupação e ansiedade.

De fato, confiar na palavra de Cristo significa agir como Ele e fazer experiência com Ele. Isso pode ser aplicado na nossa vida, nas relações que temos com nosso próximo, sendo assim, não devemos julgar e sim fazer análise dessas relações, sempre baseada nos ensinamentos do Senhor.

Abraão, com suas atitudes nos mostrou que criatividade, acolhida, sabedoria e serviço, são princípios não prontos, mas eficientes para colhermos frutos de nosso discernimento.Vamos renovar nossa forma de pensar, desprendendo-nos das formas antigas e arcáicas de encarar as situações e assumir novos laços, que possam nos identificar como verdadeiros cristãos.


Referências Bíblicas:


Gn 18,1-10

Cl 1,24-28

Sl 14

Lc 10,38-42

domingo, 11 de julho de 2010

Quem é o seu próximo?


"Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!"

A palavra é Jesus encarnado, logo você terá uma relação de intimidade com Ele ao realizar essa leitura. Jesus disse: "Como lês?"

Muitas vezes encontramos dificuldades e uma tendência preguiçosa na leitura do evangelho, além da mania do "li, mas não entendi", vocabulário antigo e falta de interesse. O Mestre é aquele que ajuda você a superar esses obstáculos e achar suas respostas. Caso não haja inteligência para tal entendimento, ainda há a força motivadora; caso não haja nenhuma das duas virtudes, ainda há a alma e o coração para amarmos inteiramente a Deus.

Assim como na parábola contada por Jesus, o bom samaritano, ao contrário dos outros dois personagens, é aquele que se aproxima, sente compaixão e te ajuda da melhor maneira possível, sendo este o seu próximo a ser amado.

Devemos fazer a leitura da Palavra, seu discernimento, e colocá-la em prática, para que assim possamos agir como o bom samaritano.

Referências Bíblicas:
Dt 30,10-14

Sl 68

Cl 1,15-20
Lc 10,25-37

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Solenidade de São Pedro e São Paulo



Conforme foi abordaddo na homilia de hoje, a obra de Deus é feita, principalmente, através das pessoas. Relacionando a vivência de Pedro e Paulo com o projeto de Cristo, podemos mostrar a realidade da comunidade se tratando de conversão e edificação da igreja.


Paulo, que vivia de acordo com as regras do mundo foi escolhido por Cristo para anunciar o evangelho. Pode-se perceber sua conversão por sua fé em Cristo, que concedeu força para que ele combatesse o o bom combate e completasse sua missão.


Pedro, por sua vez, foi o primeiro a proclamar a fé e construir a igreja primitiva sobre a herança de Israel. Além disso, Cristo lhe confia a missão de confirmar o povo de Deus na fé.


A missão a eles concedida deve se estender até os dias de hoje em nossa comunidade, onde devemos continuar pensando e trabalhando através do projeto de anunciação da palavra, bem como a nossa edificação como igreja.

Referências Bíblicas:

At 12,1-11

2Tm 4,6-8.17-18

Sl 33

Mt 16,13-19


domingo, 27 de junho de 2010

Liberdade de servir a Deus




Focando o discernimento e a liberdade de servir a Deus, as leituras e o evangelho de hoje estimulam nossa ação reflexiva.

A primeira leitura trata de um convite vocacional na beleza da convivência entre Elias e Eliseu. Este último, entendendo seu chamado, sem olhar para trás seguiu Elias, isto é, ele largou os empecilhos de sua vida que pudessem atrapalhar o caminho.

Já a segunda leitura, assim como o evangelho, aborda a liberdade como um projeto de dignidade, deste modo podemos criar um relacionamento com Deus comendo e bebendo da Palavra.

Nos dias de hoje não vos deixeis escravizar pelos problemas sócio-econômicos e nem pelos conflitos que ferem os relacionamentos, pois tudo isso nos afasta do Projeto do Reino.

Logo, faz-se necessário atentar-nos para o nosso discernimento pessoal a fim de servir a Deus e não a imagens de Deus.


Referências Bíblicas:


1Rs 19,16b.19-21

Gl 5,1.13-18

Sl 15

Lc 9,51-62

domingo, 20 de junho de 2010

Vós sois filho de Deus

"Vós todos sois filhos de Deus" (Gl. 3,26)

Sendo filhos de Deus somos comprometidos com Cristo buscando os mesmos interesses que Ele. Enquanto discípulos de Cristo os problemas do mundo também fazem parte de nossa realidade.


No evangelho, Jesus questiona seus discípulos sobre o que os homens dizem sobre Ele, onde percebe que a comunidade apesar de conviver com Ele não compreendeu o projeto de redenção.


E você que se diz seguidor do Mestre, quais atitudes que te identifcam como cristão no mundo de hoje? Numa sociedade que te escraviza com o sistema e que te leva a se compreender como filho do consumismo, do medo, da vergonha e de muitas outras coisas que te dominam, você tem coragem de se assumir como filho de Deus?


Os desafios são presentes na nossa vida, devemos fazer como Cristo, que não desconfiou dos planos de Deus mesmo sabendo que suas atitudes O levariam a cruz.


Ele mesmo nos anima: "Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia, e siga-me."


Referências Bíblicas:


Zc 12,10-11; 13,1)


Sl 63


Gl 3,26-29


Lc 9,18-24

domingo, 6 de junho de 2010

Procissões, qual seguir?




Algumas realidades são comuns e nos dão oportunidades de aprender e crescer em ambientes diversos como comunidade, família, trabalho e outros.
No Evangelho de hoje temos a história de duas grandes procissões, a dos discípulos seguindo Jesus à cidade de Naim, que se depararam com outra que acompanhava um cortejo fúnebre à porta da cidade.
A procissão do cortejo, é a que chora, sofre e reclama. Reconhecem seus problemas, porém se acomodam diante as dificuldades, ficando desmotivadas a mudar essa realidade.
A procissão dos discípulos é aquela que sofre dos mesmos problemas, porém encara essa realidade, tomando atitudes que nos proporciona vida diante da morte. Como exemplo temos as situações cotidianas em que deveriamos nos manifestar e nos acomodamos deixando-as fazer parte de nossa vida sem procurar resolve-las.
E você, de qual procissão quer fazer parte???
Referências Bíblicas: 1Rs 17, 17-24 Sl 29 Gl 1, 11-19 Lc 7, 11-17

Santíssima Trindade

Hoje, domingo da Santíssima Trindade, elevemos nosso coração a Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo. Deus que age na terra e guia nossa vida através não de uma única pessoa, mas de três pessoas em um só Deus. É assim que o mistério da celebração trinitária ocorre nesse mundo.
Esse dia também é um convite para ficarmos atentos a oração e rezar com fé, para que possamos invocar a Santíssima Trindade em todos os momentos de nossa vida.

domingo, 23 de maio de 2010

FESTA DE PENTECOSTES






Hoje somos provocados pela palavra a viver a colheita dos Dons do Espírito que habita em nós. Pentecostes é a festa da alegria de Deus; não só onde colhemos os Dons como também acolhemos as pessoas nas suas particularidades com alegria e entusiasmo.

Como comunidade devemos compartilhar essa riqueza que cada pessoa trás consigo, é Espírito quem anima e encoraja a não temer diante das dificuldades, na certeza de que o Senhor está conosco..
Da mesma forma que a árvore enraizada retira do solo a seiva que á mantém viva e a faz produzir frutos, mantendo nossos pés no chão podemos fazer florescer esses dons que já habitam em nós, servindo de exemplo para o outro fazer com ele reconheça os seus Dons.

Vamos deixar o Espírito Santo agir!!!



Referências Bïblicas

At 2, 1-11

Sl 103(104)

1 Corintios 12 - 3B-7.12-13

Jo 20,19-23

terça-feira, 18 de maio de 2010

domingo, 16 de maio de 2010

Palavra de Deus: Veículo de Comunicação


Hoje, dia da Ascensão do Senhor, o evangelho convida-nos a refletir sobre a importância da comunicação. Diariamente, relacionamo-nos com pessoas e, inconscientemente, desenvolvemo-nos psíquico, físico e relacionalmente, mas nem sempre essa interação é feita com o devido cuidado. Os problemas do cotidiano são vistos como obstáculos para nos distanciarmos dos cuidados, os quais toda pessoa humana precisa, porém, nada mais são que desafios à nossa criatividade, a qual deve ser discernida na Palavra. A Palavra de Deus é um veículo de comunicação, onde Ele fala conosco e nos mostra que devemos ser pessoas, não pelos bens materiais, e sim pelo papel que assumimos como filhos de Deus. Além de estarmos a Seu serviço, de comunicar o projeto do Reino às pessoas.

Referências Bíblicas:

At 1, 1-11

Sl 46
Ef 1, 17-23

Lc 24, 46-53

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Eucaristia o Pão da Vida



Convidamos toda a Comunidade Mercedária á assistir o documentário produzido pela Videologia Comunicação; que tem como tema central a Eucarista. Vamos prestigiar essa bela iniciativa de anunciar ao mundo esse amor infinito.

terça-feira, 11 de maio de 2010

A Maria da minha vida


Parece que foi ontem, minha mãe entrou comigo num lugar grande cheio de coisas que eu nunca tinha visto, eu era bem pequeno e mal podia entender pra onde ela me levava pelas mãos e me disse: Olha filho! A mamãe do céu! Recordo-me que ao voltar os olhos para direção que seus dedos apontavam enxerguei duas cores: azul e branco e o rosto de uma mulher que eu nunca tinha visto antes. Era a mamãe do céu. Pensei comigo: Se minha mãe disse que ela é como mãe eu preciso confiar nela, afinal quem cuida de mim é minha mãe! Não podia expressar conceitualmente isso, mas sentimentalmente isso era suficientemente claro para mim.

Desde esse dia passei a entender que aquela mulher que minha mãe apontou iria substituí-la sempre que ela estivesse ausente. Até que um dia na catequese minha catequista disse uma coisa que me deixou frustrado. Essa é a mãe de Jesus! Vamos rezara. Fiquei com raiva, não podia ser verdade, afinal a minha mãe era só minha.

Passou o tempo e aquela senhora de azul e branco continuava a ser minha mãe. Até que um dia eu entendi que eu não era filho único, que eu tinha irmãos e que era preciso partilhar com eles as alegrias e tristezas, o alimento, os brinquedos e tudo que eu tinha inclusive minha mãe. Confesso que não foi fácil, às vezes vinham lágrimas por ter que dividir, mas ela me ensinou a partilhar tudo, até mesmo minha vida.

Fui crescendo em meio à simplicidade da minha família e um dia escutei o padre dizendo que aquela mulher de azul e branco era mãe de uma pessoa muito importante, de Jesus e que ele era Deus e mandava em tudo. Fiquei com medo e não queria mais chegar perto dela com medo de ser castigado, afinal, minha mãe sempre me disse que Deus castiga quem não se comporta bem. Imagina se ele descobre que eu queria roubar a mãe dele.

Minha mãe sempre foi muito preocupada comigo. Lembro-me que muitas vezes que ficava doente ela passava sempre no meu quarto pra ver se eu estava melhor, colocava a mão na minha testa e às vezes passava horas olhando pra mim e eu fingindo que estava dormindo só pra experimentar aquele amor. Foram também muitas as vezes que eu a fiz ficar nervosa e chorar pelas minhas incompreensões e até falei palavras feias, mas ela nem ficou com raiva de mim.

Uma vez fiquei tão mal que tive eu fazer uma cirurgia e ela lá sempre comigo, até dormiu no chão só pra não ter que deixar o hospital, algumas pessoas me disseram que ela chorou quando eu estava na mesa de cirurgia e ficou extremamente desesperada.

Hoje sei que foi ela que me carregou no ventre, que foi ela quem passou noites em claro cuidando da minha pequenez, que foi ela quem cuidou de mim quando fiquei doente e que me aconselhou quanto tinha dúvidas ou estava triste. Engraçado! Minha mãe nunca usou azul e branco, mas me mostrou que se Maria é mãe ela é igualzinha a ela.


Frei Wesley Dias Santos, OdeM

domingo, 9 de maio de 2010

Sexto Domingo da Páscoa


Na liturgia da palavra de hoje, somos convidados a olhar a vocação de mãe dentro do projeto do Reino.

Projeto esse que consiste na reunião, na partilha da palavra e da Eucaristia. A vocação maternal em relação a familia é uma ação educativa para Deus, que habita na comunidade, no cuidado com as relações e com a família. Formando pessoas capazes de serem sinais de Deus na história, e remetendo-nos a reflexões profundas como:
Você sabe qual é a sua intimidade com a palavra que habita em você? Você tem colocado em prática essa palavra?

O povo de Deus precisa pedir o Espírito Santo para não ser omisso diante dos problemas e para não entrar nos esquemas do mundo, mas sim buscar a Paz, pois o povo de Deus em comunidade é convocado a superar os problemas através da discussão que gera mudança.

Por isso Mãe, sua vocação é fundamental para nossa sociedade, á vocês o nosso Muito Obrigado.

Feliz Dia das Mães
Referências Bíblicas:
At 15, 1-2.22-29
Ap 21, 10-14.22-23
Sl. 66
Jo 14, 23-29

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Vigília de Pentecostes

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIA-LA.

terça-feira, 4 de maio de 2010

A missão nas grandes cidades

Em sua obra ‘Viver na cidade – Pistas para a pastoral urbana’ José Comblin faz um estudo acerca dos desafios de evangelização nas grandes cidades e busca uma compreensão do processo de urbanização, tentando olhar a cidade em seus aspectos positivos e apontando os principais desafios da pastoral urbana.

Em primeiro lugar discute as reais motivações que levam as pessoas a deixarem o campo e emigrarem para a cidade, visto que segundo ele as razões aparentes nem sempre são as razões verdadeiras, mais profundas que até mesmo inconscientemente impulsionam as pessoas.

O eu significa a cidade? A cidade é movimento, novidade, dinamicidade. Entrar nesse ritmo significa quebrar padrões pré-estabelecidos e construir a própria existência, isso causa certa sensação de libertação. Os meios de comunicação mostram tudo que a cidade tem a oferecer numa espécie de encantamento.

As estruturas da vida social no campo são extremamente rígidas, pesadas de serem cumpridas e nem sempre vividas por convicção, mas por tradição. A família, a moral, a austeridade, o trabalho árduo e uma serie de outros fatores fazem com que muitos jovens deixem o campo por não agüentaria esse sistema de dominação. Os sonhos de liberdade levam os jovens para a cidade onde sonham em poder ser o que quiserem. Ainda que a vida na cidade não seja um mar de rosas as pessoas preferem suportar os problemas que cumprirem por obrigação a vontade de outros.

No entanto, à medida que os esquemas do campo vão desaparecendo outras formas de dependência vão surgindo dentro da vida na cidade, sujeição aos donos do trabalho, dos proprietários das casas e favelas, e as novas autoridades que vão se impondo nos bairros, como por exemplo, os narcotraficantes e ainda que aparentemente sejam problemas mais graves parecem ser mais toleráveis.

A Igreja católica e as Igrejas Cristãs históricas parecem ter certo receio desse movimento de urbanização. A tentativa de frear o processo pode estar ligada a uma série de ideais, primeiro a idealização da vida monástica no período patrístico, o sentido de fuga do mundo para o encontro com deus na solidão, depois o papel social que representam o padre e o pastor no campo que é extremamente distinto na cidade, depois a cidade vive da transformação, da criatividade, da novidade e a burocracia clerical teme não ser capaz de recriar e reinventar, seria como ter que entrar na competição e os líderes clericais são formados para administrar e não para conquistar ou para criar. Por isso o discurso é tão ultrapassado, colocando a cidade como lugar de perigo a fé genuína e como lugar de pecados, a partir daí podemos entender porque a estrutura paroquial tende a se tornar homogênea, uniforme e tradicional reproduzindo a vida camponesa.

Se o convívio com a natureza nos aproxima de Deus também a cidade é espaço dessa relação entre homem e Deus porque nos revela o maior desafio para nós cristãos o espaço de encontro com o outro, sobretudo o marginalizado e excluído, o convite a ser o bom samaritano.

A própria experiência paulina nos mostra que é bem mais fácil evangelizar a cidade que o campo, visto que o campo está mais preso às tradições e costumes e a cidade mais aberta e receptiva ao novo. Sem contar que ser cristão no campo nem sempre pressupõe liberdade de escolha, ou se assume por tradição e costume ou por falta de opção mesmo.

Cleto Caliman escreveu um artigo bastante interessante ‘A Evangelização na cidade hoje – Algumas reflexões pedagógico-pastorais’, onde traz discussões sobre esta temática da presença da Igreja e sua missão nos grandes centros urbanos e começa fazendo memória de Santo Domingo que fala da importância da Igreja inculturar o evangelho na cidade e no homem moderno.

Segundo ele a Igreja não pode mais organizar sua pastoral baseando-se na cidade tradicional tricêntrica: ao redor da Igreja, da praça e da moradia, a moderna é policêntrica definida por interesses, os mais variados: economia, política, cultura, religião, lazer e etc.

A própria religião se encontra numa nova configuração nos centros urbanos, enquanto na sociedade tradicional tem a super valorização das instituições, na sociedade moderna são valorizados os espaços de experiência subjetiva das pessoas que buscam cada vez mais religião sem Igreja.

Quais seriam então os desafios que se apresentam?

O primeiro seria a dificuldade de gerar a experiência da fé eclesial, isso se dá devido a duas grandes rupturas: a 1° porque a experiência tradicional da fé não consegue mais transmitir seus valores as novas gerações. Não consegue reproduzir. Segundo a ruptura entre religião e Igreja, a fragmentação cultural favorece fundamentalismos dentro e fora da comunidade eclesial.

O autor também discute uma questão fundamental a meu ver sobre o impasse da comunicação na Igreja. Embora seja a Igreja essencialmente comunicação, porque vive do anúncio da palavra, esta é uma das áreas que mais se transforma na sociedade moderna e a Igreja utiliza modelos inadequados à atual sociedade das informações.

Como agir então?

É preciso estar atento num primeiro nível a duas realidades: a emergência da subjetividade e a participação das pessoas. A pastoral deve estar atenta a experiência subjetiva da fé dos fiéis, ao primado da consciência e a ligação entre fé e vida cotidiana.

Num segundo nível é importante gerar novas formas comunitárias de vida Cristã, adequadas ao pluralismo das cidades, sem cair no erro de polarização CEBs X movimentos e etc. Além disso é necessário uma reforma no sistema paroquial e a mudança nas relações.

Terceiro nível a Igreja precisa ser visualizada dentro do cenário urbano pós-moderno, não nos moldes da cristandade, mas como sinal profético, como acontecimento libertador e sinal do reino de Deus.

Síntese elaborada por frei Wesley Dias Santos, estudante do 7° semestre de teologia.

Precisamos estar sob o domínio de Jesus

Somos o presente do Pai para Jesus e nos tornamos filhos com Ele. Não teríamos nenhum direito de ser filhos de Deus, de ir para o céu, mas, uma vez que o Pai nos deu de presente para Jesus, agora temos essa graça: somos filhos também. E onde Jesus estiver, estaremos com Ele.


Satanás não quer que participemos dessa graça. Então, ele faz do pecado algo gostoso, para que os filhos de Deus caiam em suas armadilhas e que o lindo projeto do Senhor não se realize em nossas vidas.


O maligno faz de tudo para nos arrancar violentamente das mãos de Deus e nos escraviza no pecado e nos vícios. Ele não nos quer a serviço de Jesus. Não podemos ser tolos, porque somos um maravilhoso presente do Pai para Seu Filho. Precisamos estar sob o domínio de Jesus.


(Trecho do livro "Céus Novos uma Terra Nova" de monsenhor Jonas Abib)


Monsenhor Jonas Abib


Levanta Juventude Católica, não deixe as coisas do mundo acabarem com seu coração, não deixe o pecado te corroer, eis o tempo novo, o tempo da conversão!


Apressai-vos em assumir vossos postos, ampliai a vossa visão.


Apressai-vos em assumir vossos postos.


Foi Deus que ordenou e nós temos que obedecer, o Senhor.

Levantemos a nossa pátria do seu abatimento espiritual.

Lutemos por nosso povo e também por nossa religião.

Jovens Sentinelas da Manhã!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

O Amor de Jesus

Você já parou e pensou na qualidade do amor de Jesus Cristo por você?

Responda então:
E o teu amor por Ele, como anda?

Orai e vigiai, para não seres pego de surpresa!

Só em Jesus encontramos o amor que satisfaz.
Busque-O! ... Encontre-O! ... Ame-O!

Diga sempre:
Jesus, eu confio em Ti, no Teu amor por mim!
Obrigado Jesus por tanto amor.
Amor verdadeiro, único e sem igual.

domingo, 2 de maio de 2010

Amai-vos uns aos outros...


No 5º Domingo da Páscoa, o amor se faz presente em Eucaristia. Podemos notar claramente o mandamento que vem dela "Amai-vos uns aos outros", pelo o que ela já é em sua essência, Amor.

Quando estamos presentes na Eucaristia nos tornamos seres apaixonados por esse amor maior e passamos a ser fortes para enfrentar nossas dificuldades diárias, que de qualquer modo estarão á nossa espera, porem quando reforçamos semanal ou diariamente esse amor através da Eucaristia estamos prontos para tudo. Olhar para frente, e não desviar do foco que é Jesus, ele é a nossa motivação para superar nossos problemas.

A Eucaristia proporciona e reúne a comunidade, é por ela que a comunidade acontece, ser comunidade pelo projeto de Deus e mais que isso devemos ir além do agora, temos que ver o projeto acontecer em nossas vidas. Como? Anunciando!

Anunciar e proclamar em todos os momentos o projeto de Deus do qual você é parte integrante, e para isso devemos ser criativos e usar os meios que estão disponíveis: Orkut, Email, Facebook e etc. Nesse anúncio da palavra de amor para o mundo, provocamos uma nova perspectiva de vida na sociedade moderna, é como um abrir de olhos, Aí está Ele é o Senhor!! Ele está aqui por Ti.

Anunciar o Senhor da sua vida através da maior prova de amor :
A Eucaristia.

Referências Bíblicas:

At. 14, 21b-27
Sl. 144
Ap 21, 1-5a
Jo 13, 31-33a.34-35

Congresso de Leigos


O Manual do Primeiro Congresso Arquidiocesano de Leigos de São Paulo, convocado oficialmente e aberto no dia 25 de janeiro de 2010, o Congresso tem como tema - "cristão leigos, discípulos e missionários de Jesus Cristo na cidade de São Paulo", e como lema - "vós sois o sal da terra; vós sois a luz do mundo". A grande meta é promover uma reflexão ampla sobre a vida e missão dos leigos na Igreja e no mundo, para um novo despertar o laicato.

Mateus 5, 13-16
Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com o que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que estás no céu.

Seria de grande importância que trabalhassem esse documento em vossas casas, com a família reunida e postassem suas respostas a esse exercício de reflexão.

1. O que você entende por cristão leigo?
2. Você se considera sal da terra e luz do mundo?
3. Hoje é possível mostrar o rosto de Deus na cidade em que habita?
4. Para você, quem é o povo de Deus?
5. Você como cristão se sente convocado (pertença da Igreja)?

Daremos continuidade a reflexão a cada domingo com um novo capítulo do documento.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Escola da Palavra


A Paróquia Nossa Senhora das Mercês, promove ao longo de todo este ano de 2010, encontros denominados de Escola da Palavra, tendo por objetivo aprofundar o conhecimento da palavra de Deus, inserindo-o na vida de seus fiéis. O tema escolhido para este ano foi o Povo de Israel. Trilharemos dentro das possibilidades pela história e constituição deste povo.

A quem por primeiro Deus deixa fazer experiência de si, como sendo o único e verdadeiro Deus digno de ser reconhecido pelo homem como seu criador e soberano de toda terra, assim se estabelece a fé no Senhor entre um povo do Oriente. Eles criam uma literatura que relata sua história, suas reflexões, sua sabedoria, e sua oração. Toda essa literatura é encontrada na coletânia de livros que carinhosamente chamamos de Bíblia Sagrada.

Ora, entre muitas opções cabíveis no contexto bíblico, escolhemos iniciar nossos encontros, pela história pessoal do grande personagem da nossa fé, o primeiro patriarca: Abraão, e da sua experiência em confiar unicamente nas promessas do Senhor, se pondo a caminhar em direção a terra prometida.

O Chamado de Abraão.

Quando Abraão ouviu o chamado do Senhor, estaria ele em Ur na Caldéia, ou em Harã? Os textos bíblicos não nos permitem sabê-lo com certeza, porque apresentam discordância. Nisto nada há que admirar, porque a história de Abraão foi transmitida oralmente durante oito séculos, antes de ser consignada por escrito (é como se tivéssemos de contar, redigir a história de um santo do século XII, recorrendo simplesmente às recordações conservadas por gerações sucessivas).

Se foi ele mesmo, ou seu pai Taré, que deixou Ur por volta de 1800 ou 1850 a.C, pouco importa. O fato é que Abraão saiu desta cidade com uma civilização brilhante e já antiga, um vasto centro comercial, aonde os navios chegavam do Extremo-Oriente, carregados de especiarias e de seda.

Em Ur, prestava-se culto aos deuses do céu; as divindades eram identificadas com os astros. Cada cidade, e até cada família tinha seu deus protetor. “O Senhor diz a Abraão: deixa tua terra, tua família e a casa de teu pai, e vai para a região que eu te indicarei” (Gn 12, 1). A história da salvação começa por este chamado de Deus, pedindo a Abraão que parta: ele tem de romper com as civilizações das ricas cidades comerciais, e retomar a austera vida nômade que era a de seus antepassados.

Promessas feitas por Deus a Abraão.

Bênção: “Eu te abençoarei, engrandecerei teu nome; sê uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem, amaldiçoarei os que te amaldiçoarem. Por ti serão benditos todos os clãs da terra” (Gn 12,1-3).

Terra: Chegaram a Canaã “É à tua posteriedade que eu darei esta terra”. (Gn 12,7). Filho: próximo ano, então “tua mulher Sarai terá um filho” (Gn 18, 10).

O chamado de Deus vem inserir-se neste sofrimento e neste desejo. “Farei de ti um grande povo”: este anúncio dará sentido à vida de Abraão. Assim, Deus vai ao encontro da esperança do homem para levá-lo a perceber sua promessa. E quanto maior for o desejo humano, mais fortemente a palavra divina poderá ecoar no fundo do coração.

A Escola da Palavra é uma iniciativa paroquial, porém de participação livre e gratuita, direcionada especialmente a qualquer pessoa que deseje conosco se familiarizar com os textos bíblicos, se esforçando certamente usufruirá de seus ensinamentos, testemunhado como expressão do amor de Deus que continuamente continua a caminhar ao nosso lado, em nossa história cotidiana.

O Deus que constituiu Abraão como exemplo daquele que crer, também mantém seu convite hoje a cada um de nós. Para nos deslocarmos de nossa vida sedentária, levantar tenda e caminhar rumo ao desconhecido de nossa história, construindo e transformando nosso caminho pessoal, comunitário e na vida em sociedade.

É nesta perspectiva, de fé que junto com você amigo(a) desejamos, nós que compomos o grupo de estudo bíblico Escola da Palavra, nos aprofundar para bem melhor conhecer tal tesouro em nossa vida. Com a graça e bondade da parte de Deus nosso bom e generoso Pai, é que firmamos o convite a você, seus familiares e amigos de vir participarem conosco. Nossos encontros acontecem toda Terça Feira às 20hs na Igreja Matriz de Nossa Senhora das Mercês, localizada na Av. Nossa Senhora das Mercês Nº Bairro Vila das Mercês - São Paulo/SP.

Os encontros são coordenados pelo Frei Nonato Ferreira.